Local Stories Bolhão
No primeiro dia de Outono de 2017, a 21 de Setembro, fui convidada para o lançamento da iniciativa Local Stories do Hotel Mercure Porto Centro. Fazer uma pausa na minha cidade e redescobri-la é sempre um prazer. As Local Stories propõem-se dar a conhecer as histórias de locais alternativos aos roteiros turísticos, que guardam verdadeiros segredos. Os protagonistas destas histórias são os locais, a face viva das cidades. E por isso fui levada pela cidade a cruzar-me com algumas personagens típicas tripeiras, encarnadas com muito humor por talentosos actores da invicta. Além do roteiro, deixo-vos aqui algumas imagens de um dia bem passado.

A“nova ambição da marca” Mercure, nas palavras de Rui Cruz, manager do hotel, pretende que os seus hóspedes vivam “uma experiência diferente”, respirando “a autenticidade dos traços identitários portuenses”. Um objectivo que se estende aos mais de 740 hotéis Mercure em todos os continentes, estejam eles localizados nas cidades, à beira-mar ou na montanha.

Mercure Porto

O Hotel Mercure Porto Centro tem a localização perfeita para desvendar as muitas camadas de histórias e lendas do Porto. Terá sido neste local que, no século X, se travou uma sangrenta batalha entre os árabes do governador do al-Andalus (a antiga Península Ibérica), Almançor, e os habitantes do Porto, cujo desfecho foi a derrota destes e o arrasamento da cidade. Hoje, a arquitectura da Praça da Batalha forma o que eu chamaria de tríptico das artes, formado pelo monumental Teatro Nacional de São João, pelo Cine-Teatro da Batalha e pelo monumento a D. Pedro V, da autoria do grande escultor Teixeira Lopes. Este rei bem-amado, homem de excepcional cultura, foi também um grande patrono das artes, além de criador do Observatório da Ajuda. Completa o quadro monumental a imponente Igreja de Santo Ildefonso, coberta de belíssimos azulejos do grande pintor Jorge Colaço, autor dos painéis da Estação de S. Bento.

E este é apenas o ponto de partida – ou de chegada – para quem fica alojado no hotel. Parte do meu Roteiro de 3 dias no Porto cruza-se com algumas das Local Stories de que aqui vos vou falar, por isso não deixem de o ler também para explorarem melhor a cidade.

A Mercure sugere 10 Local Stories no Porto:

Mercado do Bolhão vendedora

Mercado do Bolhão

É o mercado de produtos frescos mais antigo da cidade e está instalado num edifício neoclássico, prestes a ser reabilitado, mantendo a traça original tão característica. As bancadas de fruta, peixe, legumes e especiarias convivem com pequenas padarias, lojas de vinhos, lembranças e até espaços de restauração, com sabor português. Todas são geridas por genuínas tripeiras e tripeiros. Algumas das senhoras podem não gostar de ser fotografadas, mas estão sempre prontas para uma boa conversa. O que eu mais gosto no convívio com estas vendedoras é a sua franqueza, sem adereços e um carácter que não esmorece, mesmo contrariado pelas dificuldades da vida.

Rua de Santa Catarina, 20, Porto | Horário: Seg-Sex 7:00-17:00, Sáb 7:00-13:00

Local Stories Santa Catarina

Capela de Santa Catarina

Igreja de Santa Catarina

Remonta ao século XVIII mas só em 1929 foi revestida com 16 mil azulejos da autoria de Eduardo Leite, que retratam os passos da vida de de S. Francisco de Assis e de Santa Catarina. É um tesouro de património que torna ainda mais colorida a agitada rua de Santa Catarina, a mais antiga rua comercial do Porto, onde ainda hoje os locais gostam de ir às compras. Quando chegamos à igreja fomos recebidos pelo S. Francisco em pessoa, que nos contou a sua vida com humor e algumas pombas brancas à mistura.

Rua de Santa Catarina 428, Porto Livraria LelloLivraria Lello

De fachada renovada, a Livraria Lello exibe agora, mais de 100 anos depois da sua celebrada inauguração em 1906, as cores originais da sua fachada e o brilho do vitral com a insígnia da casa “Decus in Labore” (Dignidade no Trabalho”). A mais bonita e antiga livraria do Porto foi fundada pelos irmãos Lello, detentores da editora com o mesmo nome, que publicavam os mais importantes escritores da época da fundação da sua editora. Eça de Queirós, Camilo Castelo Branco, Ramalho Ortigão são recordados nos bustos de gesso junto às antigas estantes onde se conservam as edições mais antigas da casa. Mas o que chama a atenção de quem entra nesta morada única é a grande escadaria vermelha que liga o piso térreo ao primeiro andar. Foi nessa escadaria que a escritora J.K. Rowling se inspirou para criar as escadas de Hogwarts, daí a associação da Lello à saga Harry Potter, que atrai ainda mais visitantes ao bonito espaço.

Rua das Carmelitas, 144, Porto. | Horário: Diariamente 10:00-20:00 | Preço de entrada: 4€, que podem ser descontados na compra de um livro.

Arrabida vista do Palacio Cristal

Quinta da Macieirinha

Os Jardins do Palácio de Cristal são um dos paraísos da cidade do Porto. Envolta nos seus centenários carvalhos e plátanos, há uma mansão que bebe o romantismo dos jardins com uma vista sublime sobre o rio Douro: a Quinta da Macierinha. É uma casa burguesa de finais do século XVIII e acolheu vários membros da nobreza. Foi aqui que o rei Carlos Alberto de Sabóia-Carignano se exilou e terminou os seus dias, em 1849. Hoje em dia é o Museu Romântico, com charmosos salões e muitas peças e pinturas românticas.

R. de Entre-Quintas 220, 4050-240 Macerelas | Horário: Seg-Sáb 10:00-17:30, Dom 10-12:30 3 14:00-17:30 | Entradas: 2,20€ à semana: Gratuito aos fins de semana.


Mosteiro da Serra do Pilar com nuvens fotograda por Vera Dantas
Mosteiro da Serra do Pilar (em Gaia)

Surge harmonioso, circular, dominante, sobre a Serra do Pilar, o Mosteiro que lhe tomou o nome e que marca a paisagem de Vila Nova de Gaia desde o século XVI.

Com a Ponte Luis I e o centro histórico do Porto, forma a paisagem que a UNESCO distinguiu como Património Mundial em 1996. Além de poder visitar o espaço de divulgação “Património e Norte”, pode admirar a arquitectura única da igreja e dos claustros, desenhados num círculo perfeito. Não deixe de subir ao zimbório, de onde terá uma visão de águia sobre Gaia, o Porto e o rio Douro.


Largo de Aviz – Santa Marinha, Vila Nova de Gaia, Norte | Ter-Dom. 10-17:30 (Nov-Mar) ou 18:30 (Abr-Out).

Ribeira de Gaia

Os Barcos Rabelo e a Afurada (em Gaia)

Uma visita ao Porto ganha outra dimensão com um passeio pelo rio Douro. A melhor forma de o fazer é a bordo de um barco rabelo – os que fazem o passeio das 6 pontes são na verdade recriações dos originais, já que são de maiores dimensões e navegam a motor, mas vale a pena embarcar num deles e admirar as cidades de Porto e Gaia a partir do rio. Na ribeira de Gaia, em frente às caves do Vinho do Porto, que pode visitar, estão ancorados os barcos rabelo verdadeiros, cada um de uma companhia do precioso néctar produzido exclusivamente na região única do Douro.

 

Em Gaia, não deixe de visitar, logo a seguir à Ponte da Arrábida, a freguesia de São Pedro da Afurada, bairro de pescadores e lugar de bons restaurantes para saborear peixe fresco ou caldeirada. Numa nota mais contemporânea, gosto de passear ao pôr do sol pela contemporânea Douro Marina, repleta de iates e embarcações de recreio de todo o mundo. Mais à frente, um largo passeio convida a longas caminhadas que, em cerca de 25 minutos a pé, permitem chegar às praias atlânticas, passando pela bonita Reserva Ornitológica do Estuário do Douro.

Barcos Rabelo a motor – Ribeiras de Gaia e do Porto

Champanheria da Baixa Bistro

Champanheria da Baixa Bistrô

A contrastar com o vizinho Bolhão, este é um espaço cosmopolita que evoca a decoração ao estilo da década de 1950. No piso térreo um bar envolve em círculo um ácer vivo, o que só por si torna uma visita imperdível. Nos dois andares superiores, um restaurante serve desde pequenos-almoços ao estilo americano, almoços e jantares com menu português. E, claro, champanhe, muito champanhe, entre outras bebidas refrescantes.

Rua de Sá da Bandeira, 467, Porto

Tripas à moda do Porto_Foto da Associaçãoo de Turismo do Porto e Norte

Restaurante Tripeiro

Fica junto ao Coliseu e é um dos melhores locais para comer… tripas, claro está. Tripas à moda do Porto, cozinhadas com carne de vaca ou de porco, chouriços e feijocas. Um portuense de gema é um tripeiro, com orgulho. Porque esse nome vem da génese da expansão marítima portuguesa, no início do século XV, altura em que a população cedeu toda a sua carne para a frota real liderada pelo Infante D. Henrique, que partia para a conquista de Ceuta. Ficou apenas com as tripas e usou da imaginação para criar um novo prato que, antes de mais, é testemunho do sacrifício por uma causa comum. E que bem que sabem as tripas à moda do Porto do Tripeiro! Mas há muito mais para provar no Porto. Se querem descobrir por que esta cidade é mesmo a capital da gastronomia do Norte, leiam o que escrevi leiam o que escrevi sobre isso nestas páginas – e bom apetite! 

Rua Passos Manuel, 195, Porto

As Galerias de Paris e o Porto à noite

A Rua das Galerias de Paris, junto à Torre dos Clérigos, tornou-se, nos últimos dez anos, na artéria vibrante do coração nocturno do Porto. Bares, discotecas e restaurante animam esta rua e as que a circundam, convidando a noites bem passadas, quer dentro de portas quer cá fora, onde todos convivem pela noite dentro. Num ambiente seguro, há boas conversas e novas amizades à espreita, num misto de nacionalidades e culturas fulgurante.

#veradantas #portoenvolto #porto #localstories #mercurehotels #travel #hotels