Vera Dantas com mestre José Gordo na Praia dos Pescadores

Espinho é uma cidade que atrai visitantes não só pela sua costa atlântica, como também pelo seu já histórico Casino, ponto de encontro de gerações e palco de alguns dos melhores espectáculos e artistas internacionais. A apenas 20 km do Porto, a cidade que outrora acolheu uma das maiores fábricas conserveiras do país, sabe valorizar uma tradição gastronómica que vai buscar à costa atlântica as suas matérias primas. Descubra agora 7 razões para visitar Espinho.

1. A Arte Xávega

Arte Xávega Espinho Mestre José Barros

Da primavera ao final do verão, os pescadores espinhenses lançam-se todos os dias ao mar em plena madrugada, pelas 4 da manhã, numa faina piscatória antiga que ajudou a fixar população em Espinho e que se preserva.
Espinho é das poucas localidades portuguesas que mantém viva a tradição da Arte Xávega. A partir da costa, o barco carregado com centenas de metros de cordas e redes, é empurrado para o mar. Desloca-se até à distância consetida pelo aparelho de arrasto, para depois regressar à praia, onde as redes são puxadas para terra e só então se vê o real resultado do esforço da ida ao mar.

Arte Xávega
Ao alvorecer, nos dias em que o mar é favorável à pesca, é ainda possível observar a chegada à Praia dos Pescadores dos belíssimos barcos em forma de crescente de lua usados na pesca de arte Xávega e puxados para terra com cordas e a ajuda de um tractor, que veio substituir a força dos bois usados antigamente. Pescam sobretudo sardinha, cavala e carapau. Vale a pena madrugar para assistir ao momento da chegada das embarcações, ver o peixe fresco que salta na grande rede e até falar com os pescadores.

2. A caldeirada e o camarão de Espinho

Caldeirada de EspinhoDas redes dos pescadores para as bancadas das vendedoras de peixe em frente à praia e logo de seguida para as cozinhas dos restaurantes locais. Este ciclo de frescura permite a Espinho ter dos melhores restaurantes de peixe fresco do país. Nos menus há duas opções que trazem os bons apreciadores da gastronomia tradicional portuguesa à cidade : a deliciosa caldeirada de Espinho, confeccionada com diferentes variedades de peixe, e o camarão de Espinho. Este camarão, de pequena dimensão, corpo transparente e rosado, é excepcionalmente saboroso e pode ser degustado de Setembro a finais de Maio, meses em que a pesca com camaroeiras é permitida.

3. O museu no edifício da Fábrica Brandão Gomes

Conserveira Brandão Gomes Foto CM Espinho

Conserveira Brandão Gomes Foto CM Espinho

Espinho está de tal modo ligado à actividade pesqueira que o Museu Municipal está instalado no antigo edifício da Fábrica de Conservas Brandão, Gomes. Esta poderosa fábrica chegou a empregar 400 pessoas na época áurea, em inícios do século XX. A conserveira trabalhava com uma grande variedade de peixes, mariscos, carnes legumes e chegou mesmo a lançar uma embalagem de conserva com queijo da serra. Tinha a sua própria gráfica, da qual sairam rótulos e embalagens que são um testemunho da excelência do design português já na altura. Além do belíssimo edifício, resta da antiga fábrica uma colossal chaminé.

Chaminé da Conserveira Brandão Gomes Espinho4. A Feira de Espinho

Além do centro da cidade, Espinho é palco da maior feira da Península Ibérica. Todas as segundas-feiras do ano das 7 da manhã às 7 da tarde, à excepção dos feriados, a Feira de Espinho materializa-se num grande mercado a céu aberto, com todo o tipo de produtos, desde peixe fresco e queijos, artesanato e têxteis. O campo da feira fica mesmo em frente à Igreja Matriz de Espinho e é um legado vivo do comércio verdadeiramente tradicional.

Vera Dantas em frente à Igreja Matriz de Espinho5. O Planetário de Espinho

Planetário de Espinho_Foto CM Espinho
Perto do campo da feira, marcado pela imponente arquitectura neo-romântica da Igreja Matriz de Espinho, destaca-se na paisagem o moderno Centro Multimeios de Espinho.

É este edifício que guarda o mais avançado planetário do país, com um sistema de projecção digital de alta resolução 3D a 360º. Gera imagens em tempo real que permitem uma experiência completamente imersiva de viagem pelo Universo. Posso dizer-vos que foi o que mais apreciei na minha recente visita à cidade, além da caldeirada, claro!

6. O Casino de Espinho

Planetário de Espinho

Quando a noite cai sobre Espinho o destino mais procurado é mesmo o Casino. Além dos jogos, este Casino tem uma galeria de arte e é o local onde se podem ver alguns dos mais famosos nomes portugueses e estrangeiros das artes do espectáculo. A funcionar há 43 anos, o Casino Solverde continua a atrair multidões, quer pelas sua variedade de máquinas de jogos, quer pelos seus espectáculos.

7. Bolas de Berlim pela noite dentro

Bolas de Berlim de Espinho

Depois de tentar a sorte no Casino, o mais provável é que cá fora a brisa marítima de Espinho esteja a soprar em pleno. Por isso, a minha sugestão é enfrentar o frio com uma recompensa bem aconchegante: uma bola de berlim acabada de sair do forno. É só ir até à rua principal de Espinho, a Rua 19 e entrar no número 241, onde habita a famosa pastelaria AIPAL. Há fornadas frescas até às 4:00 da manhã, todos os dias do ano.

#veradantas #portoenvolto #porto #portugal #espinho #visitporto #visitportugal #turismodoportoenorte #turismodeportugal #viajar #travel #artexavega #pescadores #fishing #tradition #portuguese #portuguesebrands #portuguesetraditions